Notícias
21 de Outubro de 2016

Janela Internacional de Cinema do Recife chega à sua 9ª edição

Na edição de 2016 os filmes portugueses destacam-se nas mostras competitivas e especiais.

Foto da Noticia
743 pessoas leram esta notícia.

O Janela Internacional de Cinema do Recife chega a sua 9ª edição e contará com uma extensa programação de filmes portugueses. Em 2016, o festival irá decorrer entre os dias 28 de outubro e 6 de novembro.

Na competição de curtas-metragens, este ano 1.465 trabalhos de 22 países foram submetidos a processo seletivo, o que totaliza quase o dobro em relação à última edição, mostrando a força crescente do festival. Destes, foram selecionadas 34 obras de 13 países, sendo 17 curtas brasileiros e 17 estrangeiros. Entre os filmes de outras nacionalidades, estão quatro (04) filmes portugueses: Balada de um batráquio, de Leonor Teles, Freud und Friends (coproduzido com a Suíça), de Gabriel Abrantes, O Corcunda (coproduzido com a França), de Gabriel Abrantes e Ben Rivers, Manodopera (coproduzido com a Grécia), de Loukianos Moshonas e Pedro, de André Santos e Marco Leão.

Na competição de longa-metragem, destaca-se o filme O ornitólogo, do cineasta português João Pedro Rodrigues, que estreou no último Festival de Locarno. Nesta competição, ainda há dois filmes que contam com coprodução portuguesa: A cidade onde envelheço, de Marilia Rocha e O auge do humano, de Teddy Willians.

Haverá ainda duas mostras organizadas pelo coletivo Rabbit Hole, grupo formado por portugueses, com base em Lisboa, que tem atuado na Europa. Integrantes do Rabbit Hole são curadores de importantes mostras como o DocLisboa e o QueerLisboa, e atuam também com curadoria de galerias de arte e em intercâmbio com festivais como os de Roterdã e Tel Aviv.

O apoio da Embaixada de Portugal e do Camões - Instituto da Cooperação e da Língua, pelo quarto ano, tem a intenção de fortalecer o diálogo entre o festival e o cinema português, garantindo a participação efetiva de alguns convidados, como o produtor de cinema Pedro Marum, integrante do Coletivo Rabbit Hole, que participa no festival em 2016.

Este evento é viabilizado pelo Funcultura/Governo do Estado com patrocínio da Petrobras e organizado pela CinemaScópio Produções Cinematográficas e Artísticas.

Mais informações e a programação completa em https://www.facebook.com/janelainternacionaldecinemadorecife 

Pedro Marum

Pedro Marum vive em trânsito por várias cidades, participando em vários projetos como artista e curador. É membro fundador da Rabbit Hole, sediada em Lisboa, uma plataforma artística e coletivo de criação, experimentação e curadoria, tendo exibido a nível nacional e internacional. Entre 2010 e 2015 foi produtor e programador do Festival Queer Lisboa, assim como co-curador da secção Queer Focus, em conjunto com Ricke Merighi, um programa de investigação e desconstrução do termo "queer" através da exibição de filmes, instalações e performances.

Em 2015 recebeu uma bolsa de estudo mestrado Media Arts Cultures (MediaAC), um programa de dois anos repartido pela Áustria, Dinamarca, Polónia e Hong Kong. Atualmente colabora com SPEKTRUM, em Berlim, espaço cultural de convergência entre arte, ciência e tecnologia, e escreve regularmente para a Furtherfield, Londres, no campo da arte multimédia. Participou como júri e curador convidado em festivais internacionais de cinema em Roterdão, Berlim, Hamburgo, Tel Aviv, Ramallah e Viena.

O seu trabalho analisa a relação entre as tecnologias digitais e teorias queer e feministas.

 
Veja algumas fotografias relacionadas com a notícia
FotoFoto